A HISTÓRIA DO RECANTO DE LUZ

O Recanto de Luz começa com a história de uma família, que teve início com o casal Fritz Hermann Vianna Schüller e Maria do Carmo Santana Schüller.

Em 1961, Fritz começou a namorar Maria. Ela com 15 anos e ele com 21, filho único, de pai alemão, o Senhor Fritz Gerhard Schüller, morava com os pais em uma chácara no Cabula. A área foi um desmembramento da Chácara União, propriedade também de um alemão. Para chegar até esse paraíso, o Sr. Schüller, abriu, com um facão, uma picada para formar a primeira trilha. 

 A família morava em uma casa de madeira, muito acolhedora, piso de taboado, com um caminho de pedras pintadas de branco, ladeadas por pés de graxa floridos em meio a muitas árvores frutíferas e centenárias. A propriedade era cercada por estacas de madeira com arame farpado e uma cancela como entrada, com chão de terra batida. Tudo era rústico e muito acolhedor.

 Quando Maria e Fritz casaram, em 1968, não hesitaram em morar lá, construindo uma casa no mesmo terreno. Em 1970 nasceu o primeiro filho, Frederico, e no ano seguinte, o segundo, Fernando. As crianças cresceram correndo e brincando na estrada de terra, subindo em árvores, convivendo com patos, galinhas, avestruz, micos, ouvindo o canto dos pássaros e com a flora ainda vívida e quase virgem.

Nesse período, o bairro continuava sem muita infraestrutura. Para as crianças estudarem, praticar esporte e atividades complementares tinham que se deslocar para o centro da cidade, o que exigia uma logística cansativa e difícil para os pais.

Em 1982, 10 anos depois de Fernando, nasceu Lílian, que chegou para preencher a lacuna deixada pelo Senhor Schüller, Papi, como era conhecido por todos, que desencarnara dez dias antes.

Nessa época já existia uma Universidade Estadual - UNEB, um supermercado e os primeiros conjuntos residenciais, mas ainda faltavam boas escolas, comércio, convívio social, enfim uma vida própria.

Diante disso, em 1985, com uma criança de três anos e dois adolescentes, a família decidiu morar no Centro da cidade, para melhor atender às necessidades de todos. A viúva do Sr. Schüller, Dona Laura Sodré Vianna Schüller, permaneceu na Chácara, conservando a área de 4.000m² intacta e o que a família considera o maior patrimônio: a natureza.  

No ano 2000, Dona Laura desencarnou, mas o vínculo e o amor da família pelo local mantiveram-se. A vontade de preservar toda a sua beleza era unânime. Nesse tempo, o bairro tinha uma estrutura e independência, mas as despesas com a chácara ficaram enormes. O assédio de Construtoras pelo espaço começou a crescer e a família reuniu-se para decidir o que fazer. As opiniões se dividiam entre o sentimento pelo local e a necessidade de vender.

Maria Schüller fazia pós-graduação em Gestão Social para o Desenvolvimento – ADM/ UFBA, Programação Neurolinguística, ministrava cursos e palestras na área de Valorização de Pessoas e acalentava um sonho de tornar a chácara num lugar onde as pessoas pudessem usufruir daquele sossego, do contato com a natureza e “vender para construir prédios?!”. O espaço está no centro da cidade de Salvador, mas preservado do vai-e-vem dos carros e do burburinho estressante da vida moderna. O desejo era transformar a chácara num espaço que pudesse contribuir sobremaneira para o bem estar das pessoas, que pudesse transformar sombra em luz, dor da alma em esperança, tristeza em otimismo.

Com esse projeto, todos, então, concordaram em manter o espaço e em 2007 o Universo decidiu que nascesse o Recanto de Luz. Fritz, Maria e Lílian se uniram para viabilizar o projeto, reformando a casa e a área externa, pensando nos mínimos detalhes para funcionalidade e conforto, transformando a chácara, hoje num grande Espaço para eventos corporativos e terapêutico.